05 Mar 14

Garrafas plásticas e seu potencial risco à saúde

Saúde express
Por Luciana Vieira

garrafa_plastica

Ultimamente venho me preocupando bastante com a água que minha família consome em garrafas plásticas. Já tinha ouvido falar sobre garrafas “BPA free” mas ainda não tinha parado para avaliar isso com mais calma.

Não quero entrar no detalhe dos componentes do plástico de que são feitas as garrafas, até porque não entendo nada desta parte química, mas queria dividir com você um pouco do meu achado sobre o Bisfenol A, também conhecido como BPA.

Continue Lendo >>

Se você encontrou algum erro neste texto, por favor, mande sua sugestão de correção aqui.
08 Nov 13

Açúcar – Este sim é o grande vilão!

Alimentação Infantil, Artigos
Por Luciana Vieira

Como muitos de vocês já sabem, voltei pra faculdade, dessa vez pra estudar (oficialmente) nutrição natural. Lá me deparei com outras pessoas que, assim como eu, se apaixonaram por nutrição quando começaram a estudar a fundo dietas naturais para melhoria de saúde ou, até mesmo, cura de doenças graves. Aliás, não é só na faculdade que venho encontrando pessoas que cada vez mais se interessam pelo assunto. Elas estão por toda parte. Com cada uma delas aprendo um pouco sobre cada dieta ou terapia alternativa que vem sendo utilizada por aí.

Açúcar – Este sim é o grande vilão!

acucar_boca

Todas as dietas são unânimes quanto ao açúcar

Obviamente, cada uma dessas dietas preconiza conceitos diferentes, muitas vezes opostos. Porém, de alguma maneira elas funcionaram para a pessoa A ou B. Eu, na minha condição de “pesquisadora” do assunto, comecei já faz um tempo a torcer o nariz para aquilo que me parece radical, muito estrito e fanático. Tenho tentado me manter aberta a tudo aquilo que ouço, pesado os prós e contras, feito comparações. Ainda não cheguei à conclusão do que seria uma dieta perfeita pra mim (no fundo sei que tal coisa não existe porque tudo depende da nossa condição, do momento e das circunstâncias), mas não precisei ir muito longe para ter certeza absoluta de uma coisa. O açúcar é o grande vilão da história e é o responsável por não estarmos mais aqui para ver nossos netos crescerem. E todas as dietas que promovem a manutenção da saúde ou cura de enfermidades concordam que ele é mesmo o grande responsável pela maioria dos problemas de saúde.

Não acredite em tudo o que você ouve. Pesquise, leia, se informe sempre

Outro dia, assistindo a um desses documentários sobre alimentação, ouvi uma declaração que me chocou: “nós somos a primeira geração em que os filhos morrerão mais jovens do que seus pais”. Eu tenho estudado muito sobre o corpo humano, as funções das células, tecidos, órgãos, etc. Vou falar uma coisa óbvia, mas o corpo humano realmente é uma máquina absolutamente perfeita, que está a todo tempo buscando o equilíbrio para viver de forma saudável e plena. Eu não canso de me fascinar com a maravilha que temos nas mãos. Por que é que a maioria de nós insiste em arruinar esse sistema? Já está mais do que na hora de assumirmos o comando e sermos responsáveis pela nossa saúde. Não dá mais para darmos ouvidos a indústrias como a do açúcar. Não aceitem qualquer informação, busquem outras fontes, ouçam outras opiniões. A primeira coisa que você precisa fazer para ter boa saúde é se informar e saber o que você está fazendo desde o primeiro copo ou colherada do dia. Quantas horas você investe pesquisando qual o melhor carro, TV ou casa para comprar? Você investe o mesmo tempo para aprender sobre o combustível que vai colocar no seu corpo?

Açúcar – O mínimo que você precisa saber para aprender a viver com ele, se não for viável eliminá-lo de vez da sua vida

Enquanto estudo os principais conceitos por trás das dietas, vou falar sobre o açúcar, que já é sabido ser um dos grandes problemas da sociedade moderna. Não estou me referindo apenas àqueles cristais brancos que você mistura no seu café (o aspartame não é melhor opção, mas essa eu deixo para outra ocasião), nem do chocolate ou da sobremesa, estou falando também de todo o açúcar que está escondido no iogurte, no cereal, no pão, no molho do macarrão…

açucar_po_cubos

Por que o açúcar faz mal?

Não é só porque o açúcar (branco, mascavo, qualquer um) engorda que ele faz mal. Claro que a obesidade é outra grande vilã da história, mas vou falar uma coisa que não é necessário muita pesquisa para concluir: o corpo humano não pode tolerar esta quantidade imensa de carboidratos que muitos de nós ingere. O açúcar não contém fibra, sais minerais, proteínas, gorduras (sim, nosso corpo também precisa delas), enzimas, nada. Apenas calorias vazias. O que acontece quando comemos um carboidrato refinado como o açúcar? Para manter o equilíbrio do qual falei acima, nosso corpo deve “tomar emprestado” nutrientes vitais de células saudáveis ​​para metabolizar completamente o açúcar. Cálcio, sódio, potássio e magnésio, para citar somente alguns, são retirados de várias partes do corpo para “digerir” o açúcar. Muitas vezes, tanto cálcio é retirado do nosso corpo para neutralizar os efeitos do açúcar que nos descalcificamos. Assim nos tornamos vítimas de osteoporose, por exemplo. Da mesma forma, os dentes são afetados e eles perdem seus componentes até que apareçam as cáries e acelerem seu processo de queda. Sem contar que as crianças estão ficando obesas, vivem irritadas e nervosas, os adolescentes se arrastam por aí, vivendo uma vida sedentária sem ter energia para absolutamente nada. Dá para acreditar que o mau humor e a irritação que a gente encontra por aí se devem em grande parte ao açúcar (parece forçado, não é, mas corte o açúcar da sua vida por uma semana e sinta o que acontece com o seu humor)?

Sem falar que o açúcar “alimenta”a cândida (falo sobre isso no artigo “10 sinais de que você pode ter cândida“, fungo do bem que vive em harmonia no nosso corpo, mas que se aumentado indiscriminadamente causa infestação responsável por inúmeros sintomas, inclusive fadiga, má digestão, etc. Ele, segundo pesquisas já antigas, inclusive, alimenta também o câncer, conforme falo no artigo “O Açúcar que Alimenta o Câncer“.

7 dicas para diminuir o consumo de açúcar

Se você ainda não consegue eliminar completamente todo o açúcar que ingere diariamente, adote algumas medidas paliativas.

açucares
1-Observe os rótulos:
 Comece a ler (e a entender) os rótulos dos alimentos que você compra. A indústria utiliza muitas formas de mascará-lo. Abaixo cito alguns que encontrei na minha pesquisa:

  • Nectar de Ágave
  • Dextrose
  • Frutose (isso mesmo, o açúcar da fruta – esse também faz mal à saúde)
  • Xarope de Milho / Corn Syrup
  • Xarope de Milho com alta concentração de fructose (HFCS) – na opinião dos especialistas, este é o pior!
  • Sorbitol
  • Concentrado de Suco de Fruta / Fruit Juice Concentrate
  • Galactose
  • Lactose
  • Polidextrose
  • Manitol
  • Maltodextrina
  • Açúcar turbinado (esse até que é fácil!)


2-Corte o refrigerante de uma vez por todas da sua vida: 
Aqui entram também os sucos de caixinha. Além do açúcar, que realmente é excessivo (uma latinha de refrigerante por dia representará no fim do mês um quilo de açúcar no seu organismo), há uma quantidade absurda de conservantes. Que o refrigerante tem bastante açúcar a gente já sabe, mas o consumidor normalmente não sabe que eles também se apresentam em grande quantidade na maioria dos sucos de caixinha. Como a legislação brasileira ainda não obriga que os fabricantes declarem o teor de açúcar na tabela nutricional (encontrada no rótulo da caixinha), fica mesmo difícil de saber. As versões “diet” e “light”contém aspartame e outros ingredientes que, ao contrário do que é dito, não são nada saudáveis. Vou falar sobre o refrigerante em outro artigo futuramente.

acucar_cafe

3-Pare de adoçar o café: Se você ainda toma café (o que aconselho também a dimunuir), tente se acostumar a tomar café sem açúcar. Tente algumas vezes, seu paladar se adaptará, eu garanto. Você pode eventualmente chegar à conclusão de que o que você gosta no café não é do seu real sabor. O aspartame também é contra indicado.


4-Substitua o cereal por aveia:
 ou faça você mesmo seu muesli com a mistura de cereais, nuts e sementes.


5-Evite as sobremesas:
 Coloque uma meta. Não precisa parar completa e imediatamente. Diminua gradativamente ou deixe as sobremesas para o fim de semana ou apenas para o jantar da sexta-feira. Tente aos poucos encontrar cada vez mais sabor nas frutas, que na hora do “desespero” te ajudam a passar longe do que você está tentando evitar.


6-Evite os alimentos processados:
 O gosto salgado de alguns alimentos processados mascara a quantidade absurda de conservantes existentes ali. Sua aparência brilhante é obtida com o uso do açúcar, que também é usado como conservante dos alimentos. Portanto, mais uma vez, observe o rótulo. Pode dizer que não contém conservantes, mas o açúcar está ali exercendo este papel.


7-Dê prioridade para as refeições em casa:
 Crie um espaço agradável para cozinhar, convide amigos, aprenda receitas novas. Comer fora ou depender sempre de fast-food delivery é um prato cheio (literalmente) para comer aquilo que você não deve. Não é possível saber quanto açúcar ou mesmo outros ingredientes indesejáveis fazem parte daquele prato.

cozinha_arrumada

E se tiver vontade de comer coisas doces, tente satisfazê-la comendo alimentos que tenham naturalmente este sabor. Quando seu paladar tiver se acostumado a ausência do açúcar, vegetais como a cenoura, a abóbora, a cebola (cozida ou assada) terão sabor doce suficiente para satisfazer a vontade de comer um brigadeiro… Porém, se isso ainda é muito radical para você, tenha sempre a mão frutas secas ou mesmo frescas.

A macrobiótica entende que as vontades que temos são provocadas por desequilíbrios na nossa dieta. Uma dieta equilibrada, colorida, que contém os 6 sabores (doce, salgado, picante, amargo, adstringente e ácido) não dá espaço aos desejos desesperados por determinado tipo de alimento. Pense nisso quando for planejar sua dieta ou mesmo quando for montar seu prato.

É importante mantermos uma dieta equilibrada e nosso corpo saudável para que possamos, e por que não, de vez em quando abusar e comer aquilo que queremos, sendo esse alimento saudável ou não. E aí podemos aproveitar e comê-lo com gosto, sem culpa, porque isso não vai afetar nossa saúde de forma negativa.

O que você acha disso? É possível eliminar o açúcar da sua vida?

Se você encontrou algum erro neste texto, por favor, mande sua sugestão de correção aqui.
16 Jul 13

Alergias e Resfriados

Artigos
Por Luciana Vieira

casal_resfriado
Os resfriados normalmente chegam com força total no final do verão e durante o outono. Segundo a macrobiótica, o corpo começa a se livrar dos excessos a que foi acometido durante o verão. Em tempos mais quentes naturalmente temos mais vontade de comer alimentos que esfriam o corpo, como é o caso das saladas, frutas, sucos, bebidas frias de um modo geral, normalmente contendo açúcar. Todos esses excessos, além de esfriarem o corpo também o desmineralizam, nos tornando assim mais propensos a pegar um resfriado ou descarregar a mucosidade acumulada por meio de alguns tipos de alergias.

Para evitar que fiquemos doentes no final do verão devemos reduzir a quantidade de alimentos que nos esfriam e nos debilitam. Além disso, é importante que preparemos nosso organismo para a chegada do frio, ingerindo alimentos ricos em minerais e reforçando nosso sistema imune.

Devemos começar a reduzir, antes que se acabe o verão, a quantidade de saladas e verduras cruas que ingerimos. Devemos gradativamente aumentar a ingestão de caldos leves, refogados rápidos de verduras, verduras assadas, etc. Assim se consome verdura visando aquecer o organismo para que pouco a pouco ele se torne mais preparado para enfrentar o frio que vem pela frente. Tais formas de cozimento também vão reforçando a digestão e melhorando a absorção de minerais.

sopa_misso

sopa de misso (missô ou missoshiru) é uma boa opção para ajudar nosso corpo a se preparar para o inverno. É um prato leve, facilmente tolerado no verão e pode ser preparado de várias formas. Se feito da maneira correta, o miso (ingrediente tradicional da culinária japonesa feito a partir da fermentação de arroz, cevada e soja) conserva suas propriedades probióticas, auxiliando na digestão e fortalecendo nosso sistema imunológico.

Antes do final do verão já devemos começar a reduzir a quantidade de doces e sobremesas que comemos. Devemos até mesmo começar a diminuir a quantidade de frutas, já que mesmo as frutas, por conterem alto nível de açúcar (frutose) acabam por acidificar nosso organismo, debilitando-nos. Além disso, segundo a macrobiótica e Medicina Chinesa, possuem uma energia capaz de esfriar nosso organismo. Cozinhar as frutas, fazendo compotas, ajuda a mudar a energia do alimento.

Comece a investir nos chás mais naturais. O Kukicha (conhecido como Ban-chá no Brasl) é uma boa dica para ser consumido a partir do final do verão (e durante ele também). A macrobiótica costuma indicá-lo como um chá de consumo diário. O Bancha e o Chá Verde são provenientes da mesma planta, porém têm suas diferenças. O verde é feito com folhas mais novas e o Bancha é produzido a partir de folhas que permanecem no pé, no mínimo, três anos. O Bancha contém, assim, menos cafeína e tanino, o que lhe confere um sabor mais fraco, porém tem praticamente as mesmas propriedades terapêuticas do Chá Verde. Entre as principais propriedades do Ban-chá, estão seus poderes de alcalinização do sangue e seu alto teor de sais minerais, incluindo o cálcio.kukicha_varios_japoneses

Esses mesmos cuidados devem ser observados quando se viaja de um lugar quente para outro mais frio. É o que acontece quando passamos o verão no Brasil e voltamos para Londres durante o inverno. A família toda fica doente quando não temos tempo para nos preparar para a volta. É um verdadeiro choque para o organismo, que não conseguindo se adaptar rapidamente à nova condição climática, deixa de atacar os vírus que estão por aí, já que o sistema imune está bastante reprimido.

Em resumo, o que se pode fazer:

  1. Diminua as saladas e verduras cruas, passando a consumir mais verduras cozidas e/ou assadas;
  2. Diminua os doces e as frutas cruas. Podemos cozinhar um pouco as frutas (compotas) para mudar a energia do alimento;
  3. Tome Sopa de Misso;
  4. Tome Ban-chá.
Se você encontrou algum erro neste texto, por favor, mande sua sugestão de correção aqui.
Up