29 Jun 14

Glúten. Será que é hora de tirá-lo do seu prato?

Dieta
Por Luciana Vieira

gluten_1

Muito se tem falado sobre o glúten e o potencial mal ou desconforto que esta proteína pode causar. Poucos entendem, entretanto, porque é que o glúten de repente virou essa fonte de tantos problemas digestivos, doenças auto imunes, dentre outros.

E o que é essa doença celíaca?

Como sempre, não vou entrar aqui em detalhes técnicos e quero explicar isso de forma bem simples. Ela é uma doença auto imune, o que quer dizer que as células que temos no nosso corpo para nos proteger de ameaças externas (como vírus e bactérias) ou mesmo internas (células anormais ou cancerígenas, que devem ser distruídas, por exemplo), ficam enlouquecidas e começam a atacar células sadias do nosso próprio corpo (neste caso, elas acabam com uns “pelinhos” que existem dentro do nosso intestino, que são responsáveis pela absorção de nutrientes, fazendo com que a completa digestão e assimilação do que comemos fique comprometida). Ninguém entende muito como as doenças auto imunes acontecem, ou porque o corpo fica doido se auto destruindo, mas pesquisas já conseguem identificar fatores que provoquem este ataque enlouquecido. Um deles é uma dieta inadequada.

Glúten. Será que é hora de tirá-lo do seu prato?

gluten_cuidado

Muito bem, aqueles que são celíacos não podem mesmo passar perto do glúten. Ele está presente no trigo, no cevada e no centeio. A aveia que compramos por aí também possui glúten, uma vez que acaba sendo afetada por contaminação cruzada. E o que acontece com os demais? Para os que não têm a doença celíaca está tudo liberado então? A resposta é não!

A verdade é que o glúten que comemos hoje não é mais o mesmo que nossos avós comiam. Ele vem sofrendo transformações ao longo dos anos e o trigo atual tem muito mais glúten do que possuía antes e o tamanho da molécula desta proteína parece também ter aumentado. Glúten é uma proteína difícil de ser digerida e muitas vezes nem é digerida completamente. Quando o glúten parcialmente digerido entra na circulação sanguínea (por diversas razões sobre as quais falarei em outro post), ele pode provocar várias outras reações, não necessariamente ligadas à digestão, como gases e sensação de barriga cheia, mas também dor de cabeça, cansaço, inflamações gerais, dores musculares e nas articulações. Se você se sente cansado constantemente, deprimido, irritado, antes de procurar ajuda médica e começar a tomar remédios, teste a sua dieta.

Pesquisas recentes mostram que o glúten pode ocasionar uma série de ataques auto imunes sem qualquer relação com o intestino. Você pode ter um resultado negativo para doença celíaca, mas ainda ter uma intolerência ao glúten. Há quem diga que o gluten está também ligado a outras doenças auto imunes como a “Tiroidite de Hashimoto” (não encontrei o nome correto em português do Brasil) e Doença de Graves.

Em breve falarei mais sobre este tema. Eu o incentivo a buscar mais informação e testar por alguns dias uma dieta sem glúten. Talvez você sinta diferença na primeira semana (como eu mesma sinto) ou perceba que havia algo errado quando depois de bastante tempo sem comer glúten você resolva reintroduzi-lo na sua dieta.

Você tem alguma experiência negativa com o glúten? Resolveu aboli-lo de sua dieta? Conte a sua experiência. Você pode ajudar muitos que estão pensando em fazer o mesmo!

 

Fotos: Shuterstock

Fonte: GAPS – Gut and Psychology Syndrome – Dr Natasha Campbell-McBride MD

Se você encontrou algum erro neste texto, por favor, mande sua sugestão de correção aqui.
4 comentários
  1. Terezinha Maria da Silva 29 Jul 2014 | 00:07

    Vou tentar fazer o pão sem glútem, se der certo volto e conto ok?

    Responder
    • Luciana Vieira 11 Aug 2014 | 14:55

      Terezinha, boa sorte. Conte sim como foi a experiência e como você se sentiu!
      Beijos

      Responder
  2. Monica 11 Mar 2015 | 19:56

    Olá! Venho seguindo dieta paleo-loa-carb desde 1o. de janeiro desse ano e confesso que me sinto muito bem! Para o meu sistema digestivo foi a melhor coisa que já fiz, havia dias que eu fazia apenas uma refeição devido a indigestão sofrida após o café da manhã. Meu marido e meus filhos toparam mudar a dieta também, eles gostam bastante. Espero que com o tempo, as alergias de que sofro, sumam. Bjo.

    Responder
    • Luciana Vieira 20 Mar 2015 | 09:14

      Oi Monica, obrigada por escrever e contar sua experiência. Mande notícias daqui um tempo! É bom quando a gente começa a “conversar” com o próprio corpo e entender o que funciona e o que não! Beijos, Luciana

      Responder
Escreva o seu comentário
* Não será divulgado

Up