28 Jun 16

Jejum Intermitente

Dieta
Por Luciana Vieira

Você deve ter passado a sua vida inteira ouvindo que o café da manhã era a refeição mais importante do dia e que para ser saudável, você deveria comer várias pequenas refeições ao longo do dia. Porém, esses conceitos mudaram ao longo dos anos e hoje existem pesquisas que confirmam os benefícios do jejum intermitente, que é o que você faz quando sai de casa de manhã sem comer, ou quando passa a manhã na cama no fim de semana e tem o almoço como sua primeira refeição do dia.

Tais pesquisas sugerem também que o jejum tem os mesmos efeitos benéficos da restrição calórica, o que aumenta drasticamente a expectativa de vida em animais. Além de tudo isso, o jejum intermitente pode ser usado como opção por aqueles que não conseguem reduzir a ingestão diárias de calorias e precisam perder peso. Outros beneficios do jejum intermitente seriam: aumentar o nível de produção do hormônio do crescimento (também conhecido como “fitness hormone), facilitar a perda de peso, reduzir a resistência à insulina, reduzir inflamação, melhorar a pressão arterial e aumentar a massa magra.

Continue Lendo >>

Se você encontrou algum erro neste texto, por favor, mande sua sugestão de correção aqui.
10 Dec 15

Adoçante para perder peso

Dieta
Por Luciana Vieira

Se você luta contra a balança ou simplesmente presta atenção ao que come para manter o peso que atualmente tem, pare de usar adoçante artificial. É um erro pensar que, por não ter calorias, ele pode ajudá-lo na dieta. Nenhum estudo conseguiu provar de forma categótica que o uso do adoçante tem um efeito mais positivo que o do açúcar na perda peso. Também não estou dizendo que você deve voltar a usar açúcar! Leia o artigo antes!

Continue Lendo >>

Se você encontrou algum erro neste texto, por favor, mande sua sugestão de correção aqui.
21 Feb 15

Minhas aventuras no mundo Paleo

Dieta
Por Luciana Vieira

homem_cavernas_hamburg

Publiquei este artigo em Março de 2014. Agora, quase um ano depois, conhecendo melhor a dieta e tendo-a testado por mais de 6 meses, tenho várias coisas para complementar neste texto, o que vou fazer abaixo nesta cor.

De uma hora para outra comecei a ouvir falar muito sobre este tema. Não sei se é porque depois que ouvi pela primeira vez fiquei mais sensível a esse assunto ou se realmente esta é uma febre aqui na Inglaterra. O fato é que isso me deu inspiração para estudar mais profundamente o assunto (pesquisa que ainda está em andamento) e até introduzir alguns de seus princípios no meu prato.

Caso queira saber sobre esta dieta, veja o artigo “O que é esta tal dieta Paleo?

Passei a pensar em adotar algumas de suas práticas porque vinha me dando conta de que, talvez pela idade, minha dieta vinha precisando de alguma mudança. Eu já tinha diminuído a quantidade de grãos, principalmente daqueles que contém glúten e achei que comecei a me sentir melhor. Desde quando estava amamentando, reintroduzi frango (criado solto e orgânico) como forma de melhorar a qualidade do meu leite. Por que não experimentar carne vermelha, algo que não comia há 6 anos? E esses caldos de ossos de frango? Por que não?

Durante um mês, minha dieta foi mais ou menos a seguinte:

Vale dizer aqui o que aconteceu depois deste mês de testes. Eu voltei à minha dieta anterior, reintroduzi o porridge (mingau) de manhã, voltei a comer grãos normalmente, reintroduzi alimentos com glúten. E aí eu comecei a ter várias reações ruins, na digestão, no meu sono etc. Mantive a mudança por mais ou menos 1 mês porque achei que talvez precisasse de algum tempo para me readaptar. Mas não. Até hoje não sei se comer grão e glúten sempre me fez um pouco mal e eu já estava acostumada ou simplesmente deixei de tolerar esses alimentos (por perder a capacidade de digeri-los). Depois daquele mês diminui a quantidade de grãos, reajustei algumas coisas e não voltei a testar a dieta Paleo até agosto do ano passado (2014), quando testei a Whole 30, uma adaptação mais restrita da Paleo Diet.

No que eu errei: Desde que finalizei a Whole30 (outubro 2014) e reintroduzi alguns alimentos, meu consumo de oleagenosas (nuts) passou a ser alto. Comia nuts no café da manhã, almoço e jantar. Quando estive no Brasil em dezembro, fiz um check-up. E o que descobri nos meus exames? O nível de Ferro estava super baixo. E aí percebi que o que eu aprendi nas aulas de Nutrição realmente funcionavam na prática. Assim como os grãos, as oleagenosas contém alto índice de fitatos e oxalatos, substâncias consideradas anti-nutrientes porque dificultam e, dependendo da quantidade, inibem completamente a absorção de outros nutrientes, e Ferro é um deles. Por isso, é necessário seguir algumas regras básicas antes de consumi-las (como deixá-las de molho) e limitar a quantidade ingerida, o que agora venho fazendo.

Continue Lendo >>

Se você encontrou algum erro neste texto, por favor, mande sua sugestão de correção aqui.
Up