Artigos
Alimentação e hábitos saudáveis como medicina

Dieta na gravidez altera DNA do bebê

Vou fazer uma tradução livre e resumida de um artigo que vem rodando pela Internet, mas que foi publicado já há quase 3 anos. Ele toca em um assunto bastante importante para o qual os profissionais da saúde, em geral, não dão a atenção devida.

A Macrobiótica e a Medicina Chinesa, duas áreas sobre as quais tenho interesse sempre ressaltaram a importância de o corpo estar preparado (e saudável) para a gravidez, desde o momento da concepção, até o fim da amamentação.

Dieta na gravidez altera DNA do bebê

feto_na_barriga

Um estudo publicado na Revista Diabetes em 2011, mostrou que uma dieta baixa em carboidratos durante a gestação mudaria alguns aspectos do DNA (composto orgânico cujas moléculas contêm as instruções genéticas que coordenam o desenvolvimento e funcionamento de todos os seres vivos) do bebê. E crianças com essas “mudanças” teriam se tornado crianças obesas.

Parece que os bebês em desenvolvimento tentam prever o ambiente no qual nascerão, tirando essa informação de sua mãe e ajustando seu DNA de acordo.

Estudos feitos em animais mostraram que a dieta altera a função dos genes (Mudança Epigenética). Nesse estudo, pesquisadores colheram amostras do cordão umbilical e procuraram por “marcardores epigenéticos”. Eles mostraram que mães que, no início da gravidez, tiveram dieta baixa em carboidratos (como açúcares e amido) tiveram crianças com esses marcadores. Foi então encontrada uma forte ligação entre estes mesmos marcadores e a obesidade destas crianças entre os 6 e os 9 anos.

O relatório mostrou que este efeito era muito mais importante/significativo do que o peso com que a criança nascesse. E nada teria a ver com o quão magra ou gorda estivesse a mãe.

O professor Mark Hanson, da British Heart Foundation, disse: “Este estudo fornece evidências convincentes de que as mudanças epigenéticas, ao menos em parte, explicam a ligação entre um “mau começo na vida” e o risco de desenvolver doenças no futuro.

“Isso reforça a necessidade de todas as mulheres em idade reprodutiva terem maior acesso à nutrição, educação e melhor estilo de vida para melhorar a saúde da próxima geração e, assim, reduzir o risco de diabetes e doenças do coração, que muitas vezes seguem a obesidade”.

Esta pesquisa apenas comprova a importância da boa alimentação da mãe durante a gravidez e seu efeito a longo prazo na saúde da criança. Se você está gravida ou pensa em engravidar, tente ao máximo manter uma dieta saudável, mas o mais variada possível, sem restrições de nutrientes. Este cuidado pode garantir uma prole saudável e com menos riscos de desenvolver doenças hoje tão comuns como obesidade e/ou diabetes.

O artigo acima foi parcialmente traduzido de texto publicado na BBC News Online em 18 de abril de 2011.

 

0 comentários
Escreva o seu comentário
* Não será divulgado

Up