13 Jan 16

O que causa a obesidade?

Artigos
Por Luciana Vieira

Há inúmeras causas para a obesidade e algumas delas, embora poucas, nem estão ligadas à alimentação.

Porém, quando se trata de obesidade causada por excessos na alimentação, ela nem sempre vem da falta de força de vontade, preguiça ou simplesmente gula.

Há mecanismos químicos fortíssimos no nosso organismo que mudam não só nossa biologia, mas o nosso comportamento com relação à comida. Uma dieta inadequada, como é a típica dieta ocidental e a ingestão exagerada de açúcar e gorduras de má qualidade, dentre outros, podem levar a um quadro conhecido como resistência a leptina.

Obesidade

O que é leptina?

A leptina é o hormônio responsável por dar a informação ao cérebro de que é hora de parar de comer. No mundo perfeito, nós comemos, a gordura corporal aumenta, a leptina imediatamente aumenta, nós comemos menos e começamos a queimar o que acabamos de comer OU nós não comemos, a gordura corporal diminui, leptina diminui e nós comemos mais e queimamos menos.

Porém, quando há resistência a leptina, o cérebro não consegue ler essa informação, o que faz a pessoa comer mais e ganhar mais peso.

O que é resistência à leptina?

A leptina é um hormônio produzido pelo tecido adiposo (gordura) e é produzido em proporção à massa deste, ou seja, quanto mais obesa a pessoa, mais leptina ela produz. Considerando a maneira como a leptina funciona, essas pessoas não deveriam estar comendo, certo? O cérebro deveria entender que há suficiente energia guardada.

Porém, o problema é que este sistema nem sempre funciona perfeitamente. Há muita leptina passeando pelo organismo, mas o cérebro não consegue enxergá-la. E quando o cérebro não a vê, ele muda sua fisiologia e seu comportamento, fazendo com que você coma de volta aquilo que ele acha que está faltando e para piorar ainda reduz seu gasto de energia (diminuindo seu metabolismo).

 

Dito isso, dá para entender porque não é a falta de exercício físico que está te mantendo acima do peso. Não posso negar aqui a importância da atividade física para a saúde, para todos os sistemas do organismo (inclusive para manter níveis saudáveis de leptina). Ela é importante e precisa ser praticada com regularidade mas a falta dela não é a causa dos quilos que você não consegue perder.

 

Para a maioria das pessoas, a força de vontade e a determinação não são poderosas o suficiente para conter o sinal “estou faminto” que seu cérebro recebe.

 

Como saber se você tem resistência a leptina?

Se você está acima do peso e tem dificuldade para perdê-lo, pode ser que você tenha resistência a leptina. Outro indicativo são níveis altos de triglicérides (que são as principais gorduras do nosso organismo).

O que fazer para reverter a resistência a leptina ou evitá-la?

Para reverter este quadro (ou evitá-lo, caso ainda não tenha chegado lá) é necessário seguir uma dieta (não só alimentar) antiinflamatória, o que significa:

No-more-fast-food

  1. Diminuir o consumo de grãos, refinados e acúcares em geral;
  2. Diminuir o consumo de frutose, especialmente HFCS (Xarope de milho de alta frutose);
  3. Começar o dia com um café da manhã nutritivo, com gorduras de boa qualidade e proteína;
  4. Evitar processados a todo custo (pães, massas e quase tudo que você encontra no supermercado);
  5. Consumir fibras solúveis;
  6. Consumir mais Omega-3 (peixe, carne de animal criado solto, chia seeds) e diminuir o consumo de Omega-6 (óleos vegetais, carnes de má qualidade, grãos) para diminuir inflamação no organismo e promover níveis saudáveis de leptina;
  7. Não fazer lanchinhos entre as refeições;
  8. Não comer demais (comer devagar, mastigando bem os alimentos ajuda);
  9. Encontrar formas de reduzir o stress;
  10. Tomar sol sem filtro solar no corpo, mas o suficiente para não queimar a pele;
  11. Não fazer exercícios extenuantes, o que põe seu organismo em estado de alerta (stress) danificando ainda mais seus hormônios;
  12. Ir para cama às 10 da noite e ter 8 horas de sono ininterrupto.

 

É bastante difícil implementar todas essas medidas de uma só vez. Comece por comer comida de verdade. Planeje-se com antecedência para não chegar em casa faminta e acabar pedindo uma pizza. Tenha verduras e legumes em casa sempre à mão e na falta de algo mais saboroso já pronto, prepare um bom omelete e o saboreie com uma deliciosa salada. E coma devagar, mastigando bem, descansando os talheres entre uma garfada e outra. Beba menos álcool e tome menos café. Isso já ajuda muito.

 

Veja mais:

http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1046/j.1365-2281.1998.00129.x/full

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23359004

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3281561/

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15531540

 

 

Se você encontrou algum erro neste texto, por favor, mande sua sugestão de correção aqui.
10 Dec 15

Adoçante para perder peso

Dieta
Por Luciana Vieira

Se você luta contra a balança ou simplesmente presta atenção ao que come para manter o peso que atualmente tem, pare de usar adoçante artificial. É um erro pensar que, por não ter calorias, ele pode ajudá-lo na dieta. Nenhum estudo conseguiu provar de forma categótica que o uso do adoçante tem um efeito mais positivo que o do açúcar na perda peso. Também não estou dizendo que você deve voltar a usar açúcar! Leia o artigo antes!

Continue Lendo >>

Se você encontrou algum erro neste texto, por favor, mande sua sugestão de correção aqui.
19 Sep 15

Por que meu filho não come?

Alimentação Infantil
Por Luciana Vieira

legumes_crianca

Minha amiga Kate Knowler escreveu essa semana em seu blog sobre “fussy eaters”, crianças que dão trabalho pra comer verduras e legumes e me fez pensar: “por que eu não tive essa ideia antes?”.

Eu, sabendo da importância da boa alimentação, errei feio quando comecei a introduzir sólidos para a Olivia. Na época estava super tensa porque achava que meu leite podia secar a qualquer momento e sentia uma urgência em fazer com que ela aprendesse a comer vários tipos de verduras e frutas em um curto espaço de tempo. Errei primeiro porque tive pressa. E depois, porque inventava mil cardápios e opções diferentes para garantir que ela comeria bem alguma coisa. Pensava que dessa forma ela aprenderia a ter prazer para sentar pra comer em vez de querer correr daquele momento como muitas crianças pequenas fazem quando olham para um brócoli.

Continue Lendo >>

Se você encontrou algum erro neste texto, por favor, mande sua sugestão de correção aqui.
Up